Camaçari Poder Público

Rede municipal de Camaçari voltará às aulas nos dias 9 e 16 de agosto

Foto: Tiago Pacheco
Foto: Tiago Pacheco

 

Em prosseguimento às discussões referente ao processo de volta às aulas semipresenciais de maneira escalonada na Rede Pública Municipal de Ensino, o prefeito Elinaldo Araújo participou nesta quarta-feira (21), do 3º encontro com o Comitê de Governança Intersetorial de Planejamento de Retorno com a finalidade de escolher a melhor data de reingresso das atividades nas 102 unidades do município. A reunião aconteceu na Secretaria do Governo (Segov) e contou com a presença dos secretários da Saúde e Educação, Elias Natan e Neurilene Martins, respectivamente.

Na oportunidade, ficou acordado de maneira conjunta que o retorno ocorrerá em duas etapas. A primeira é a partir de 9 de agosto, onde todos os professores voltarão para as unidades com intuito de avaliarem as adequações feitas nas escolas para evitar a contaminação pela Covid-19, assim como a aplicabilidade do Protocolo Sanitário para Ambientes Escolares. No dia 16 de agosto, será o momento das aulas iniciarem com a presença dos estudantes da rede. O percentual de alunos será definido entre os comitês escolares.

As duas datas foram escolhidas, pois cerca de 60% dos profissionais da educação terão contemplado o seu ciclo de imunização contra o vírus com a segunda dose até o final do mês de julho. O secretário Elias Natan, aproveitou o momento para fazer uma apresentação do atual cenário epidemiológico e vacinal do município. “Temos conseguido obter uma melhora nos indicadores de contaminação, e tudo isso reflete nas nossas decisões. Temos 37% da população geral vacinada em primeira dose e 19% com a segunda”

Natan acrescentou ainda, “não temos nenhum paciente aguardando para ser regulado e temos leitos disponíveis tanto na rede do Estado quanto na rede municipal. A nossa ocupação hoje em Camaçari de leitos clínicos no Centro Intermediário de Enfrentamento ao Coronavírus (CIEC) é de 7% e no Hospital Geral de Camaçari de 15%. Nos leitos de UTI, no HGC temos um índice de 18% e no Hospital Santa Helena 100%”.

Foto: Tiago Pacheco