Educação Salvador

Professores municipais decidem não voltar às aulas presenciais em Salvador

Foto: Mateus Bonomi/Agif-Agência de fotografia/Estadão Conteúdo
Foto: Mateus Bonomi/Agif-Agência de fotografia/Estadão Conteúdo

Os professores da rede municipal de Salvador decidiram que não vão retomar às aulas de forma presencial na próxima segunda-feira (3), sem vacinação completa da categoria. A decisão foi tomada durante uma reunião feita na terça-feira (27), com o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) e contou com dois mil professores da rede municipal, segundo informações do G1.

“Nós não aceitamos de jeito nenhum, atividade presencial. Nos dias 3, 4 e 5, queremos a revogação do decreto, e só com atividades remotas. Vamos trabalhar só de forma remota, ninguém vai para sala de aula”, disse o coordenador-geral da APLB, Rui Oliveira.

O prefeito da capital baiana, Bruno Reis, anunciou a retomada das aulas de forma semipresencial, na última sexta-feira (23). O objetivo da prefeitura é que haja um escalonamento dos estudantes e por aula, apenas 50% de uma turma poderá estar na sala. As aulas serão escalonadas no entanto, os alunos voltarão a ter contato com os professores e demais funcionários das escolas.

Apesar do início da vacinação contra a Covid-19 nos trabalhadores da Educação Básica, a partir de 40 anos, o coordenador-geral da APLB, destaca que antes de qualquer retomada das atividades é preciso que toda a categoria esteja vacinada.

“Queremos vacina para todos. Já morreram 140 profissionais da educação na Bahia. Em Salvador, nos últimos 20 dias, morreram quatro diretores de escola”, relata Rui Oliveira.

A Secretaria de Comunicação da prefeitura de Salvador informou que Bruno Reis vai se reunir novamente com a APLB nesta quarta-feira (28) para reforçar o apelo feito à categoria, para que voltem às salas de aula no dia 3 de maio.