Brasil Mercado e Negócios

Mulher descobre ser ‘presidente da República’ após ter auxílio emergencial negado

Foto: Reprodução/TV Gazeta
Foto: Reprodução/TV Gazeta

Uma mulher do Espírito Santo, moradora de uma casa simples em Jabaeté, na periferia de Vila Velha, após ter o pedido de auxílio emergencial negado, descobriu que a Carteira de Trabalho Digital aponta que ela tem dois empregos em aberto. Um deles de presidente da República.

O último emprego formal da estudante Adeyula Barbosa, de 31 anos, foi como cuidadora em uma escola da rede estadual do Espírito Santo. O contrato, no entanto, foi encerrado em agosto do ano passado. Em entrevista ao G1 ela explicou o ocorrido:

“Eu consultei o auxílio emergencial, fiz o cadastro no dia 7 de abril. Cerca de 20 dias depois, veio a negativa. Estava lá algo como ‘cidadão com emprego formal’, como se eu estivesse trabalhando”.

“Eu comecei a pesquisar o que significavam aquelas siglas. Consegui consultar a Rais (Relação Anual de Informações Sociais), depois resolvi baixar a Carteira de Trabalho Digital, para saber se estava com o mesmo problema. Lá, estava a ocupação de ‘presidente da República’. Fiquei espantada. Como? Uma cuidadora escolar que não tem nada a ver com o presidente da República. Não tinha lógica aquilo. Não imaginava um erro desse”, disse.

Além do registro de presidente, o segundo vínculo em aberto é de auxiliar de secretaria pela Prefeitura de Vila Velha, onde a estudante atuou antes de 2019. O superintendente de Trabalho e Emprego no Espírito Santo, Alcimar Candeias, informou ao site que o erro é do contratante, neste caso, a Secretaria de Educação após a pasta não informar a demissão da funcionária e outro ao inserir, equivocadamente, o código do cargo de presidente da República na ocupação da trabalhadora.