Bahia Mercado e Negócios Notícias

Motoristas reclamam dos valores repassados nos postos após reajuste

Foto: Romildo de Jesus
Foto: Romildo de Jesus

Sentindo o impacto diretamente no bolso a cada reajuste nos combustíveis, os motoristas da capital baiana se surpreenderam após procurarem os postos de gasolina na manhã de ontem (26). Seguido de um novo aumento anunciado pela Petrobras, em alguns postos de abastecimento o preço pelo litro da gasolina comum chegou a R$ 7,09 e a gasolina aditivada R$ 7,39; valores que antes do reajuste apontavam em média R$ 6,11 o litro. No entanto, se o consumidor tiver paciência e pesquisar bastante pode encontrar o combustível pelo valor de R$ 6,70 o litro.

Quem precisa se deslocar constantemente ou quem usa como meio de trabalho, reclama sobre os reajustes abusivos diante dos combustíveis. O supervisor administrativo Edilson Silva, diz que utiliza seu veículo como meio de transporte para ir trabalhar e com a gasolina mais cara, fica impossível sustentar o orçamento.

“Tá cada dia mais complicado sair no conforto de seu veículo para ir trabalhar ou ir para um passeio com a família devido a esses aumentos que não param. Faço uso do meu carro para ir trabalhar, porque o deslocamento se torna mais fácil, mas vejo que esses dias terei que optar pelo metrô e ônibus, não vejo outra solução, o orçamento não aguenta tanto reajuste.”

Em média, para abastecer um tanque veicular atualmente, os motoristas gastam R$ 350,00, porém isso depende de cada tipo de veículo e da maneira que o transporte é utilizado.

“Os gastos dependem muito do tipo de utilização do veículo, naturalmente os motoristas de aplicativos e taxistas que têm o uso mais intenso acabam tendo um gasto elevado, por motivo do trabalho. Em geral, é um aumento significativo, porque hoje um tanque cheio de gasolina em média custa R$ 350,00, e para aqueles que utilizam diariamente chegando a rodar dois mil quilômetros por semana, se torna um impacto violento ultrapassando a média estimada”, destaca Radiovaldo Costa, diretor de comunicação do Sindicato dos Petroleiros da Bahia (Sindipetro).

Motorista de aplicativo por quase dois anos, Rodrigo Santos diz não saber se irá permanecer na função devido os valores da gasolina. “A cada aumento se torna uma incógnita em querer continuar ou não rodando por aplicativo, atualmente só conseguem economizar aqueles que rodam com o GNV, e olhe lá. Tá difícil pra todo mundo!”

Diante de possíveis reajustes encontrados pelos motoristas no Gás Natural Veicular (GNV), a equipe da Tribuna da Bahia entrou em contato com a Companhia de Gás da Bahia (Bahiagás) que informou por meio de nota, que o último reajuste da tabela tarifária de gás natural aconteceu no dia 02 de outubro deste ano, conforme Resolução Nº 49 da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (AGERBA), publicada na edição do Diário Oficial do Estado de 02 de outubro de 2021, no valor de 3,3% (média de todos os segmentos).