Camaçari Poder Público

Conselho de cultura aprova tombamento de igreja em Abrantes

Foto: Tiago Pacheco
Foto: Tiago Pacheco

O Conselho Municipal de Cultura, juntamente com a Secretaria da Cultura (Secult) convocou os Conselheiros de Cultura para Reunião Extraordinária nesta segunda-feira (24/5), para apreciação e votação do relatório final do projeto de tombamento da Igreja do Divino Espírito Santo, em Vila de Abrantes, ação financiada pelo Fundo de Cultura do Município e previamente autorizada pelo conselho.

A reunião aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores e foi presencial devido a apresentação e defesa do trabalho realizado por nove meses pela museóloga e responsável pelo projeto, Kátia Cunha, que ressaltou a importância do tombamento para Camaçari. “Esse tombamento é importante para resgatar e salvaguardar a cultura e a história dessa igreja maravilhosa, que é considerada a oitava igreja mais antiga do Brasil, então nós precisamos preservar essa memória e hoje nós podemos verificar que a comunidade está apoiando todo esse projeto”, concluiu.

Após a apresentação do projeto, o presidente do Conselho Municipal de Cultura, Luciel Neto, abriu para votação, tendo sido o documento, aprovado por unanimidade pelos conselheiros presentes, foram eles: Flávio Guerra (música), Célia Magna (movimentos sociais), Rafael Gonzaga (produtores culturais), Dema Alexandrino (artes visuais e artesanato), Márcia Tude (Secult), Paulo D’errico (Secult), Mariana Maciel (Secult), Deivison Luz (Secretaria da Educação), Jéssica Ribeiro (Secretaria do Desenvolvimento Social e Cidadania), Cleide Pinheiro (Secretaria do Turismo), Joilson Nascimento (Secretaria do Turismo), Arisson Mascarenhas (Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude), Rafael Santos (Secretaria do Esporte, Lazer e Juventude ), Robson Santos (Poder Legislativo) e Bruna Calazans (Poder Legislativo).

“Muito interessante a aprovação por unanimidade por parte de todos conselheiros presentes nessa reunião, porque nos sinaliza que estamos no caminho certo.  Quero parabenizar a doutora Kátia Cunha pela qualidade do trabalho que fez. Para a gente é muito interessante, e o melhor ainda, é que quando começamos a fazer esse resgate histórico da cidade, estamos reconstruindo a nossa identidade”, pontou o presidente do conselho e Subsecretário da Cultura, Luciel Neto.

O apoio da comunidade se mantém forte, é o que pontuou Tito Santana, morador de Vila de Abrantes. “É uma questão que envolve a comunidade, precisamos nos preocupar com o que ainda existe da nossa história e tornar um atrativo cultural e turístico, para que as pessoas conheçam a história de Abrantes”, disse.