Brasil Notícias Poder Público Político Saúde

“Chega de frescura, de mimimi”, declara Bolsonaro em discurso sobre Covid-19 nesta quinta (4)

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Após o Brasil bater o recorde de mortes diárias por Covid-19 por cinco dias consecutivos, o presidente Jair Bolsonaro voltou a fazer declarações contrárias ao isolamento social, nesta quinta-feira (4), durante inauguração de um trecho da ferrovia Norte-Sul, em São Simão (GO). Em seu o discurso, o presidente declarou que é preciso parar de frescura, de mimimi”, e questionou até quando as pessoas irão ficar “chorando”.

Apesar de ter negado privilegiar a economia em detrimento da saúde, Bolsonaro elogiou produtores rurais por terem continuado a atuar durante a pandemia. “Vocês (produtores rurais) não ficaram em casa, não se acovardaram. Nós temos que enfrentar nossos problemas. Chega de frescura, de mimimi. Vão ficar chorando até quando? Temos que enfrentar os problemas”, pronunciou Jair Bolsonaro. “Onde vai parar o Brasil se só pararmos?”.

Logo em seguida, o presidente chegou a citar a Bíblia Sagrada, insinuando que a população não deveria temer à doença, pelo simples fato de serem católicos e acreditarem em Deus. Vale ressaltar que, só nesta quarta-feira (3), o Brasil contabilizou 1.840 mortes em 24 horas, somando assim um total de 259,4 mil óbitos desde o início da pandemia.