Bahia Poder Público Satélite Negro

Bahia lidera estatísticas de mortes de pessoas negras durante ação policial

Foto: Editora Solução
Foto: Editora Solução

Até quando o sangue preto será derramado de forma desumana, cruel e racista? Até quando? As estatísticas cada vez mais opressora e com registros alastrantes. Não há um campo de atuação que a visão de desfalques não sejam profissionais pretos. Pode ser em qualquer ramo mais o que chama mais a atenção é que dessa vez esse resultado negativo é em um dos pilares regentes  de qualquer nação; seja no município, no estado ou na república como um todo. Nenhuma sociedade pode progredir sem segurança. Até porque o direito de ir e vir pertence à todos quando se fala de um país, livre e  democrático.

Trazendo a triste realidade para o estado da Bahia que  carrega esse fardo negativo apontado pela Rede de Observatórios da Segurança, na qual fez uma avaliação de dados de sete estados brasileiros durante o ano de 2020, e esse estudo mostra que a Bahia é o estado com o maior percentual de  mortes de pessoas negras durante ações policiais. Mesmo atrás do  Rio de Janeiro, estado com 939 registros entre os 1.092 mortos que tiveram a cor/raça informada no ano passado, a Bahia é novamente o estado com maior porcentagem, com 98%.

Com 595 mortes, Bahia fica atrás apenas do Rio de Janeiro (939). Supera São Paulo (488), que é o estado mais populoso do Brasil. Também está na Bahia a cidade em que mais pessoas negras morrem em ações policiais no Brasil, Santo Antônio de Jesus, segundo dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Já na capital Salvador todas as vítimas da polícia são negras.

Os números estão no novo boletim da Rede de Observatórios da Segurança que  fala de um racismo declarado com a anuência de autoridades e a naturalização de boa parte da sociedade. O estudo Pele alvo: a cor da violência policial , com dados obtidos via Lei de Acesso à Informação, aponta que a cada quatro horas uma pessoa negra é morta em ações policiais em seis dos sete estados monitorados pela Rede: Bahia, Ceará, Piauí, Pernambuco, Rio de Janeiro e São Paulo. Estudo, que  reuniu  dados de 7 estados, incluindo o Rio de Janeiro, mostra que a  polícia da Bahia segue sendo a mais letal do Nordeste e entre todos os estados pesquisados.