Notícias

Satélite Político: ACM – O grande vencedor em Salvador

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A eleição em Salvador demonstrou o quanto o atual prefeito ACM Neto é querido e que o PT não se cria na capital.

Apesar de muitos interioranos admirarem as obras feitas pelo Governo do Estado e os soteropolitanos aceitarem com admiração a administração de Rui Costa em Salvador, o fechamento de diversas empresas bancadas pelo Estado, a exemplo do Parque de Exposições, da EBDA, o abandono do antigo Centro de Convenções, do Colégio Estadual Odorico Tavares –  uma das maiores e mais tradicionais instituições de ensino da rede pública em Salvador – em detrimento de um desejo antigo dos mais ricos, deixou mágoas perpétuas em parte de seu eleitorado popular e apoiador.

A eleição esmagadora de Bruno Reis, quase um desconhecido, ex-PMDB de Geddel, não melindrou o eleitorado, demonstrando a força, carinho e total apoio do povo ao atual prefeito.

O avanço Republicano

Mas o que vemos agora na eleição da Câmara de Vereadores? Um Republicanos (Partido da Igreja Universal) fortalecido, com quatro cadeiras, incluindo a da mulher negra mais votada, Ireuda Silva, mostra para a esquerda que a população negra da capital caminha bem nos movimentos de direita.

Ainda sobre representatividade feminina, foram nove eleitas, pouco mais de 20%, diante dos 34 homens. A elas, entre extrema direita e extrema esquerda, cabe trabalhar o jogo político e buscar alavancar mais a participação da mulher no poder, independentemente das ideologias políticas.

Marketing com animais e abuso de poder econômico

Para alguns, a eleição de Marcelle Moraes (DEM) foi surpresa. Após plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidir, no último dia 27, cassar por unanimidade o mandato do seu irmão, o deputado estadual Marcell Moraes (PSDB) e torná-lo inelegível por oito anos por abuso do poder econômico, além de determinar que os mais de 64.219 votos obtidos por ele fossem anulados, acreditavam que a onda do marketing de uso excessivo de animais bonitinhos em campanha já tinha se esgotado. Acredita-se que, sabendo de sua derrota, e para não perder o gostinho do poder, Marcell se debruçou diretamente na campanha da maninha.

Vitória ou derrota do PSL em Salvador?

Apesar do PSL, ex-partido do presidente Bolsonaro, ter se desintegrado nesta eleição, a legenda garantiu uma vaga que parece contraditória. George, o Gordinho da Favela, conseguiu garantir sua cadeira. Bastante conhecido em Cosme de Farias e diversas outras regiões de Brotas, George caminha super bem na favela (sua origem). O curioso é o Gordinho da Favela estar num partido que reiteradas vezes trabalhou para perda de direitos dos trabalhadores, favorecendo ricos e taxando pobres.

Caciques que não têm mais apito

Nem todos os caciques da política conseguiram firmar uma vaga na Câmara, como Pedro Godinho (DEM), Aladilce (PC do B), Alfredo Mangueira (MDB), Lessa (PT), Odiosvaldo Vigas (PDT), Marcos Mendes (PSOL), Euvaldo Jorge (PSDB), dentre outros nomes eternos na política, que já poderiam ter alçado voos maiores mas mostram que legislar tem mais vantagem que uma candidatura administrativa.

Famosos sem vez

A galera da mídia também nadou e morreu na praia. Léo Kret do Brasil, mostra mais uma vez que o seu primeiro mandato como vereadora não foi bem aceito. As ostentações, antes mesmo de receber o primeiro salário, as brigas internas na Câmara em causa própria, ter tido apoio unilateral da esquerda dentro do parlamento e mesmo assim permanecer na direita, apresentou uma face mal agradecida da personalidade.

Outro nome é Leandro Guerrilha, que famoso no rádio, se aventurou em campanha, mas esqueceu que Salvador nunca esqueceu o desastre que foi eleger um comunicador, vide Fernando José, que terminou seus dias praticamente exilado no Rio de Janeiro. “Fernando José não tinha o menor perfil e vontade de ser prefeito de Salvador. Um mês antes, ele queria ser, ou pensava em ser, disc-jóquei ou apresentador de programa de rádio”, disse uma vez ao Metro1, o jornalista, radialista e assessor da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), Carlos Mendes.

O que esperar futuramente das pesquisas antes da eleição

As pesquisas eleitorais precisam rever sua forma de apuração. Isso ficou claro com os 5,33% do Pastor Sargento Isidório (AVANTE), dos 4,65% do médico bolsonarista Cezar Leite (PRTB) e dos 54.496 (4,49%) de Olívia Santana (PC do B). Não podemos deixar de citar a Major Denice (PT), que amargou 18,86% dos votos válidos. Todos sabem da competência, comprometimento e das lutas diárias em defesa da ordem e dos direitos das mulheres, mas esta luta não foi dela. Rui não conseguiu reproduzir o milagre eleitoral que o ex-governador e senador Jacques Wagner fez com ele. Colocar no alto poder uma pessoa ainda desconhecida na política.

O atual prefeito, este sim que foi o real vencedor desta eleição. Após amargar uma derrota já sabida, desde antes das eleições para Governador, em 2018, sagrasse a maior força da direita e um nome que puxou muitos votos também para seus vereadores coligados. Pode ser mais fácil para Bruno Reis administrar, o que não se sabe é se ele tem esse manejo político para tratar com todas as bandeiras eleitas, inclusive as de esquerda. O que resta é aguardar.

Ainda sobre o Republicanos, se percebe uma articulação para a presidência da Câmara e reativar o sonho antigo de eleger futuramente o prefeito ou vice-prefeito (universal).