Cultural Música

Salvador: Teatro Gamboa celebra 45 anos com espetáculos do Se Mostra Interior

julhogamboa

Com a apresentação de espetáculos e obras de artistas plásticos, selecionados entre mais de 145 propostas do interior baiano através do projeto Se Mostra Interior, o Teatro Gamboa, em Salvador, celebra 45 anos de existência. A programação marcará também 12 anos do projeto Gamboa Nova, com apresentações entre os meses de julho e dezembro.

No palco do Gamboa, o público poderá prestigiar seis espetáculos cênicos, sempre nos últimos fins de semana de cada mês, de diversas regiões, começando por Lauro de Freitas com “Mulheres Malês”, dias 27 e 28. Além disso, o artista Márcio Gari, de Ubaitaba, assina a capa do programa impresso, com a obra “Doce Infância”. Em julho acontecem ainda as apresentações de “Poderóticas”, de Solange Campos, dos grupos Performáticos Quilombo e Ativos Resistentes, a estreia de “Vincent…um possível Van Gogh” e um Tributo a Gonzaguinha.

Espetáculo com direção cênica e coreográfica de William Gomes, “Poderóticas” é inspirado em um conto da escritora francesa Anais Nin e reúne também poesias musicadas da escritora Hilda Hilst, bem como músicas das cantoras Elza Soares e Manuela Rodrigues. As sessões acontecem nos dias 04, 11, 18 e 25 de julho (quintas), às 19h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Seguindo a programação, o Grupo Performáticos Quilombo apresenta o espetáculo cênico-musical “Café com Leite e Canela”, todas as quintas do mês de julho, a partir do dia 03, sempre às 19h, no Teatro Gamboa Nova. O ingresso para ver este “show” coletivo custa R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Já no dia 05 de julho, estreia, às 19h, no Teatro Gamboa Nova, o espetáculo teatral “Vincent…um possível Van Gogh”, com direção de Edinilson Motta Pará. Lago Júnior é o protagonista e autor do texto, que se apresenta até 20 de julho as sextas e sábados. A peça fala sobre a obra e a vida do pintor holandês, considerado pós-impressionista, Vincent Willem Van Gogh, nascido em 30 de março de 1853 e morto em 29 de julho de 1890.

Para abrir o projeto “Se Mostra Interior”, o grupo de pesquisa em teatro Loca, realiza duas apresentações do espetáculo “Mulheres Malês, Nas Margens do Rio”, dias 27 e 28 de julho, às 19h e 17h, respectivamente. Até dezembro, artistas do interior do estado se apresentam no último fim de semana do mês no Teatro, além de artistas visuais assinarem a capa da programação. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

O Grupo Loca surgiu em 2014, a partir do projeto “Na Minha Comunidade?”. O grupo é dirigido por Heme Costa, diretora, atriz e arte educadora, licenciada em Teatro pela UFBA. O espetáculo “Mulheres Malês” é a produção mais recente do grupo, estreado em 28 de fevereiro de 2018 no Cine Teatro Lauro de Freitas, a montagem participou em abril do mesmo ano do Marco das Artes Cênicas, festival de teatro de Lauro de Freitas, em outubro do  3° Festival de Teatro do Interior da Bahia e em novembro no Circuito de Arte e Cultura Negra em Alagoinhas.

Divulgar a vida e a obra do cantor e compositor Luiz Gonzaga Junior – Gonzaguinha, despertando o espírito saudosista nas gerações contemporâneas e privilegiando as novas gerações com o conhecimento histórico da Música Popular Brasileira. Com essa proposta, o espetáculo musical “Caminhos do Coração – Tributo a Gonzaguinha” vai homenagear o artista e apresentar repertório especial, nas vozes de Dorismar e Raoni Caribé, pai e filho, apaixonados pela obra do compositor e intérprete. O público confere o show nos dias 07, 14 e 21 de julho, no Teatro Gamboa Nova, às 17h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Celebrando 20 anos de estrada, a veterana banda de reggae Ativos Resistentes, segue com os shows de lançamento do seu recém lançado álbum 1999. Em a apresentação única, o grupo mostra seu trabalho no dia 26 de julho, às 19h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Conectado com as artes plásticas desde os 11 anos e há 40 anos residindo na Chapada Diamantina, onde atua na comunidade como médico, Aureo Augusto apresenta no Gamboa Nova a exposição “Corpos, Atualizações Míticas”, uma série de pinturas em acrílica sobre tela, madeira prensada, papel aquarela, madeira rústica, com o tema dos corpos enquanto significado mítico e enquanto elemento inserido na vida. As obras ficam na Galeria Jayme Fygura, foyer do Teatro, de 03 a 31 de julho, das 16h às 19h de quarta a sábado e das 15h às 17h aos domingos. A entrada é gratuita.

A cantora e compositora Lara Aufranc exibe seu clipe “Llena de Água”, de quarta a domingo, antes das apresentações de música e teatro do dia, no projeto Cine Gamboa, que visa divulgar produções audiovisuais no formato curto, para o público que acompanha a programação do espaço. Acesso livre ao adquirir o ingresso para atração do dia

 

Com informações da SecultBA