Notícias Notícias Poder Público Político

Retorno de eventos religiosos será primeira pauta da Bancada Evangélica de Camaçari

Fotos: Emerson Leandro Silva
Fotos: Emerson Leandro Silva

Criada em 2015, a Bancada Evangélica da Câmara Municipal de Camaçari levou ao Plenário, discussões que giram em torno da fé de parte da população camaçariense. Até o ano passado, seis vereadores compunham a bancada.

Em entrevista ao Cidade Satélite após sessão solene de abertura dos trabalhos da Casa, os vereadores Oziel Araújo (PSDB) e Pastor Neilton (PSB), atuais presidente e vice-presidente da frente, afirmaram que para o primeiro ano de mandato é preciso aguardar a composição da nova bancada evangélica para iniciar os debates sobre as possíveis propostas e, além disso, é necessário se alinhar com poder executivo municipal.

Conhecida em âmbito nacional pelo conservadorismo e projetos como o Estatuto da Família e o tratamento da homossexualidade como doença. Em Camaçari, Pastor Neilton, membro da Igreja do Evangelho Quadrangular, defende o respeito à pluralidade das crenças.

“A função da bancada evangélica é trabalhar por um bem comum, independente dos credos religiosos. Nós vivemos em um país laico, entendemos que cada um escolhe a religião que quer seguir”, explicou.

Até o ano passado como líder do grupo, o vereador Oziel, integrante da Assembleia de Deus, garante que a primeira pauta a ser debatida com a Prefeitura é o retorno de eventos religiosos tradicionais no município.

“Nós estamos muito preocupados com a situação ainda do período passado, né, a gente teve todas as atividades, que há anos aconteciam em Camaçari do CONJUEC, da Marcha [para Jesus], tudo suspenso e outras atividades religiosas continuaram sendo mantidas com o apoio da Prefeitura”, disse.

Conforme o vereador Neilton, entre as bandeiras de luta, está o combate ao preconceito religioso, “porque o evangélico, muitas vezes em si, os pastores, as igrejas são muito perseguidas”. O vereador falou ainda que a função da bancada também é mostrar que as igrejas têm um papel social.

Além dos parlamentares, outros três edis que até então compunham a bancada foram reeleitos: Júnior Borges (DEM), da Igreja Adventista do Sétimo Dia; Bispo Jair (PRB), da Universal do Reino de Deus e Sessé Abreu (PSDB), da Igreja Batista.