Bahia Camaçari

Projeto Tamar de Arembepe declara que base avançada não será extinta

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Em  nota, o Projeto Tamar de Arembepe anunciou nesta sexta-feira (29), que as atividades da base avançada não serão extintas. A instituição afirma que a estrutura do projeto, localizada na Costa de Camaçari, não está relacionada ao Centro Tamar que será encerrado pela medidas decretadas e publicadas no Diário Oficial União (DOU)

O Projeto de Arembepe esclarece que é uma instituição privada, sem fins lucrativos, que busca proteger as cinco espécies de tartarugas marinhas que existem no Brasil. O Centro Tamar, ligado ao Ministério do Meio Ambiente, não tem relação com a iniciativa. São instituições distintas, apesar de estarem localizadas no mesmo município. 

Quem também se pronunciou sobre o ocorrido, foi a secretaria de Turismo de Camaçari, Lúcia Bichara, durante uma entrevista à Rádio Sucesso 93.1. “A nossa base do Tamar, que é a Fundação Tamar, ela permanece, não há extinção, ela só não está aberta em função do coronavírus, que ela não pode receber visita, nem as escolas nem os turistas, essa base permanece, mas está seguindo as normas da organização de saúde quanto a nossa abertura”, explicou a titular. 

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, “as Bases Avançadas em Parnamirim/RN, em Pirambu/SE e em Arembepe, Camaçari/BA já tinham proposta de encerramento de suas atividades desde o ano passado (2019), vez que não contavam mais com servidores que realizassem as atividades finalísticas, cuja proposta foi do próprio Centro de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade do Leste – TAMAR”.

Ao todo, a Bahia possui quatro bases do projeto, localizadas em Arembepe, Praia do Forte, Sauípe e Mangue Seco.

Tamar Arembepe

O Projeto Tamar Arembepe conta com museu interativo equipado com TV e vídeo, dioramas educativos, cascos de tartarugas marinhas e o Ecosub, submarino construído de materiais recicláveis e que reproduz o fundo do mar. O espaço possui também, tanques de observação das tartarugas e de toque de animais marinhos, modelo de cercado de incubação de ovos, além de outros elementos de sensibilização e informação.

Para grupos pré-agendados, oferece ainda, visitas guiadas com especialistas que repassam informações detalhadas sobre a conservação e a proteção das tartarugas marinhas em todas as fases do ciclo de vida. No local, cerca de 300 mil filhotes são protegidos e liberados, por ano. Os interessados podem visitar a base após as medidas de isolamento social, aos sábados, domingos e feriados, das 9 às 12hs e das 13 às 17hs.