Cultura e Entretenimento Dança

Mostra Etnografias Urbanas Subversivas encerra apresentações neste sábado (27) em Salvador

Mostra_Etnografias_Urbanas_Subversivas_743_420__0_0_1_center_top__0_transparent_0_1_7

Neste sábado (27/04) será encerrada a I Mostra Etnografias Urbanas Subversivas, com apresentações às 17h e às 19h, no Teatro Gamboa Nova, em Salvador. Dentro do 11º Abril O Corpo, a iniciativa inclui trabalhos autorais de dança em interfaces com outras linguagens, que abordam a temática negra e LGBTQ+. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

A Mostra propõe o encontro e interação de artistas criadores que trabalham esses temas e suas intersecções, desenvolvendo uma rede de colaboração que constrói visibilidade e circulação dessas obras e artistas. Inserida nas comemorações do mês da dança, o evento aponta para questões de afetividade, ancestralidade e arte periférica, problematizando classe, raça e gênero, no ambiente de produção artística da dança.

A iniciativa apresenta trabalhos que trazem como característica comum o mergulho nas experiências de ser, em comunidades periféricas, de indivíduos negros e LGBTs, se apropriando do termo “etnografia” para apontar a generalidade destas experiências, em sua maioria violentas e traumáticas, nas tentativas de circulação nos centros urbanos. Ao mesmo tempo sugere e tenta subverter esta ordem com estratégias de agrupamento, para ocupação de novos espaços para a arte e artistas.

A I Mostra Etnografias Urbanas Subversivas tem produção geral de Leonardo Luz; produção de Bruno Novais, Jordan Alves, Rose Nascimento e Vinicius Revolti; e participação dos artistas Bruno Novais, Dj Pivoman (Italo Oliveira), Jordan Alves, Leonardo Luz, Maiara Silva, Octa (Luana Cordeiro), Rose Nascimento e Vinicius Revolti. A classificação é de 16 anos.