Bahia Saúde

Moradores de Madre de Deus fazem apelo após cinco dias de lockdown

foto: reprodução
foto: reprodução

Os residentes do município baiano, Madre de Deus, têm se manifestado de forma positiva desde as determinações de lockdown (bloqueio total) começaram a vigorar na cidade. Ativa desde do dia 21 junho (domingo),  a medida foi imposta pela Prefeitura Municipal e busca conter o avanço do coronavírus. 

Válido até este sábado (27), o lockdown no município proíbe o funcionamento de todos os estabelecimentos comerciais não essenciais, além da circulação de pessoas, veículos, motocicletas e embarcações entre 20h e 5h. 

“Essa iniciativa de paralisação das atividades, tomada pelo prefeito, e creio, com apoio dos vereadores, é muito boa. Madre de Deus é uma pequena cidade-ilha e esta medida é muito importante no combate à pandemia”, diz a dona de casa Nidiane Aparecida da Costa, de 46 anos. A moradora afirma que “todos se conhecem em Madre de Deus. E com esta cultura do São João, as pessoas percorrem as residências para experimentar as iguarias juninas. Mas essa prática não pode acontecer durante a pandemia da Covid-19. Então, implantar esta medida de isolamento no São João é importante. Agora, precisaremos de atenção nos festejos de São Pedro”, diz.

“É a consciência de cada um. As pessoas deveriam ter o foco de que podem ficar doentes e também infectar os outros. Então, o certo é evitar aglomerações, usar máscaras e lavar as mãos”, alertou a diarista Jamile Santana, de 24 anos.

A comerciante Simone Maria dos Santos, de 38 anos, também apoia a medida. “Eu creio que o lockdown é importante. Precisamos também educar as pessoas. Nas filas dos mercados e em outras situações, há pessoas que não mantém o distanciamento. Outras não usam a máscara ou a colocam, no meio da rua, no queixo”, protestou.

De acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado pela prefeitura nesta quarta-feira, 24, Madre de Deus já registrou 147 casos da Covid-19, com 72 curados e duas mortes confirmadas.