Notícias Poder Público

Manchas de óleo: prefeito Elinaldo se reúne com o governador para discutir a situação da Costa de Camaçari

Foto: Tiago Pacheco
Foto: Tiago Pacheco

Visando discutir a situação sobre as manchas de óleo na Costa de Camaçari, além de compartilhar informações sobre a questão, o prefeito Elinaldo Araújo esteve reunido com o governador Rui Costa, na tarde dessa quinta-feira (17/10). O encontro, que aconteceu na sede da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, contou com a presença de prefeitos e representantes dos outros sete municípios baianos atingidos pelo material que avança pelo litoral do Nordeste. A reunião ainda foi voltada ao alinhamento de ações de limpeza das praias e mangues afetados, assim como o recolhimento e o descarte apropriado do material poluente.

A grande preocupação do estado e dos municípios envolvidos é a falta de informações por parte das autoridades federais competentes, uma vez que a responsabilidade por águas oceânicas, tanto ambiental quanto a segurança, é de competência do governo federal. No entanto, até agora nem as cidades nem os estados têm qualquer informação sobre o que foi feito e o que se pretende fazer para descobrir a fonte primária do vazamento e qual a situação no mar.

O governador Rui Costa declarou que foi reforçado o pedido para que as autoridades federais, como Marinha, Petrobras e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), tomem providências em relação à descoberta do que está acontecendo. Ou, pelo menos, informem aos estados e municípios o que estão fazendo até agora.

Durante a reunião, o prefeito Elinaldo falou que pode-se dizer que Camaçari é um dos municípios mais afetados pelas manchas de óleo, uma vez que, algo em torno de 10 toneladas de material já foram retirados das praias da Costa do município, além do resíduo que já chegou aos manguezais e do que está retido nas pedras.

Ainda segundo ele, o óleo continua chegando diariamente e o dano ambiental é incalculável, mas outras duas grandes preocupações são: o prejuízo econômico para a cidade, com impacto no turismo nesse período de alta estação e, com isso, na queda da geração de empregos, além do impacto para a população que vive da pesca artesanal.

Na avaliação do prefeito, a reunião foi positiva no que diz respeito à integração entre o estado e os municípios envolvidos na busca de cobrar soluções dos órgãos responsáveis.

“Pedi ao governador que use da sua influência e tome a frente da situação para que os municípios não paguem com os prejuízos desse crime ambiental. Que seja cobrado dos órgãos responsáveis a solução. Não podemos arcar com esses danos. Mesmo com todas as dificuldades, estamos fazendo a nossa parte, no que diz respeito à limpeza, para proteger nossas praias”, declarou o gestor municipal.

Na última quarta-feira (16/10), o estado aderiu à ação civil pública do Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público da Bahia (MP-BA), que solicita que o governo federal e o Ibama adotem medidas efetivas de proteção do litoral baiano.

No momento, o estado está cedendo equipamentos aos municípios, além de oferecer o trabalho do Corpo de Bombeiros na limpeza das praias. O estado fará, ainda, a coleta periódica do material retirado, destinando para um tratamento e reservatório adequados, visando, assim, trazer mais segurança à população.

Ainda participaram do encontro os prefeitos das cidades de Conde, Entre Rios, Jandaíra, Lauro de Freitas, o vice-prefeito de Esplanada e um representante da Prefeitura de Salvador. Também estiveram presentes o secretário de Turismo, Gilvan Souza, o vice-prefeito e gestor da Prefeitura Avançada da Costa, José Tude, o secretário do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Genival Seixas, o coordenador da Defesa Civil de Camaçari, Ivanaldo Soares, além do secretário estadual de Meio Ambiente, João Carlos Oliveira.

Fonte: Agência de notícias – Prefeitura de Camaçari