Notícias Político Saúde Segurança Pública

Maia: “Do jeito que as coisas estão indo” o Brasil “corre risco muito grande”

Foto: Sérgio Lima/Poder360
Foto: Sérgio Lima/Poder360

Em videotransmissão da Lide, associação de empresários fundada por João Doria, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse que ou o Brasil segue exemplos de outros países, ou irá navegar no escuro.

“Como é navegar no escuro, a gente tem que rezar, e não vai sobrar nada que não seja rezar. Vamos rezar para ver se a população brasileira tem um nível de defesa do vírus maior que a dos outros países, uma imunidade maior que a de outros países”, ironizou Maia nesta sexta-feira (27).

De acordo com a Folha de S.Paulo, Maia lembrou que a abertura de empresas e comércio antes do tempo pode provocar impacto maior na perda de vidas, em razão do colapso no sistema de saúde. Para que isso não aconteça, é fundamental seguir orientações das autoridades sanitárias. Caberia ao governo, então, organizar as estruturas do sistema de saúde e da economia. A partir disso, seria possível pensar em retomada da normalidade.

No entanto, o momento atual não dá segurança para abrir mão do distanciamento social. “Nesse momento, do jeito que as coisas estão indo, acho que a gente corre risco muito grande, e vamos rezar para que não, um risco muito grande para que a gente tenha no Brasil o que aconteceu na Itália, o que está acontecendo na Espanha, na França e agora em Nova York, que está uma situação muito preocupante”, observou Maia, segundo a Folha.

A Itália atingiu novo recorde, ao registrar 919 mortes por causa do coronavírus nesta sexta, chegando a 9.143. A Espanha bateu recorde de mortes decorrentes da Covid-19, atingindo a marca de 769 óbitos nas últimas 24 horas. Já Nova York é considerada o novo epicentro do surto de coronavírus, com 44.635 casos confirmados e 519 pessoas mortas.