Cultural Música

JAM no MAM recebe grupo Panteras Negras neste sábado (16)

Panteras_Negras_FOTO_CARACOL

A primeira banda instrumental de mulheres negras do mundo é quem fará a abertura da próxima JAM no MAM, que acontece nesse sábado (16/03), em Salvador. O grupo Panteras Negras começará a tocar às 18h no Solar do Unhão, mostrando ritmos que passeiam do ijexá à música eletrônica, numa musicalidade influenciada por grandes artistas da Bahia e do mundo.

Logo depois a banda Geleia Solar assumirá o posto de anfitriã da noite, recebendo músicos interessados em participar da jam session a partir da fusão do jazz com as sonoridades locais.  Os ingressos custam R$ 8 (inteira) e R$ 4 (meia).

O grupo Panteras Negras surgiu em Salvador em 2018 durante o Novembro Negro da Estação Zinha, produtora exclusiva de conteúdo artístico musical de mulheres negras. Seu nome é uma homenagem ao movimento racial dos anos 1960 nos EUA e propõe a ideia de movimentar a arte musical negra feminina, provocando reflexões sobre a pouca ou quase falta de existência de mulheres negras na música instrumental. Em cena, Suyá Nascimento (guitarra), Makena (baixo), Line Santana (bateria) e Dedê Fatuma (percussão) destilam referências diversas, a partir de estruturas rítmicas e harmônicas que dialogam com a música afro, afoxés, samba reggae e composições afro cubanas. A partir daí, criam um repertório com releituras de Mumia Abu-Jamal, Charlotte Kelly e Bob Marley, entre outros.

Em sua estreia na JAM no MAM, o grupo mostrará ao público alguns covers selecionados a partir de suas influências, como músicas imortalizadas em gravações de Nina Simone, por exemplo. “Um show da banda é um diálogo entre essas mulheres que tocam em pontos consistentes de seus empoderamentos pessoais, alimentando suas autoestimas e inspirando a outras mulheres; trata-se de um improviso livre gerado das vozes silenciadas de um povo que tem muito a dizer”, avisa a produtora Zinha Franco. E como sempre acontece, as artistas ainda vão participar da noite dividindo o palco com os músicos da banda Geleia Solar, no clima de improviso que acontece quando os instrumentos se encontram nas mãos dos artistas.

 Essa edição da JAM é financiada pelo público através da campanha FÃ da JAM e tem apoio do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM). A campanha continua ativa através de doações diretas, da venda de ingressos do evento pelo preço real e da comercialização de camisetas do projeto durante as jam sessions. Mais informações sobre como participar podem ser conseguidas no site www.jamnomam.com.br.