Notícias

Irmã Dulce: baiana será primeira brasileira a ser proclamada santa

irma-dulce-original

Com o reconhecimento de um segundo milagre atribuído à Irmã Dulce por decreto assinado pelo Papa Francisco, a religiosa baiana, conhecida como ‘Anjo Bom da Bahia’, será a primeira mulher nascida no Brasil proclamada como santa, passando a ser chamada de Santa Dulce dos Pobres. Segundo o “Vatican News”, canal oficial de comunicação do Vaticano, a canonização irá acontecer em “solene celebração de canonizações”.

“O segundo milagre validado pelo Vaticano passou por três etapas de avaliação: uma reunião com peritos médicos (que deram o aval científico), com teólogos, e, finalmente, a aprovação final do colégio cardinalício, tendo sua autenticidade reconhecida de forma unânime em todos os estágios. Uma graça só é considerada milagre após atender a quatro pontos básicos: a instantaneidade, que assegura que a graça foi alcançada logo após o apelo; a perfeição, que garante o atendimento completo do pedido; a durabilidade e permanência do benefício e seu caráter preternatural (não explicado pela ciência)”, afirma em nota as Obras Sociais Irmã Dulce.

Maria Rita Lopes de Sousa Brito, a Irmã Dulce, nasceu em 26 de maio de 1914, em Salvador, e faleceu aos 77 anos, no dia 13 de março de 1992. Em maio de 2011, recebeu o título de Bem-Aventurada Dulce dos Pobres, tendo o dia 13 de agosto como data oficial da celebração de sua festa litúrgica. O significado da data remete a 1933, quando a religiosa ingressou na Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus, em São Cristóvão (SE). Naquele mesmo ano, em 13 de agosto, com 19 anos, ela recebeu o hábito e adotou, em homenagem à mãe, o nome de Irmã Dulce.