Cultural

Debates sobre artes LGBTQI+ e Dança Afro-brasileira encerram Novembro das Artes Negras

FuncebNovembroNegroMalaikaSNFotodigulgacao
O projeto Novembro das Artes Negras encerra a programação nesta quarta-feira (28/11), com atividades gratuitas na Escola de Dança da Fundação Cultural do Estado da Bahia  (Funceb), no Pelourinho, em Salvador. Das 9h às 12h é realizado o Workshop Afrontosas: Corpos Invisibilizados. Com a participação de Paulett Furacão, Valerie O´rarah, Hilda Furacão e Priscila Nepomuceno, o debate acontecerá em torno dos elementos que contribuíram historicamente com a invisibilização de um conjunto de artistas que transitam pelo campo da dança, das artes performáticas e culturas LGBTQI+ (Lésbicas, Gays, Bi, Trans, Queer/Questionando, Intersexo e mais). O bailarino e coreógrafo Elivan Nascimento mediará o debate e apresentará seu workshop de Danças Urbanas, com participação de artistas locais.
Já a Oficina Demonxtração acontece das 15h às 17h, com a drag queen Malayka SN. Na atividades, os participantes terão aprendizados em maquiagem cênica, tendo como base as referências do movimento estético-político das Drags Monster Queen. O intuito é fomentar a experimentação cênica de outras possibilidades de pesquisa e criação no campo das artes visuais.
Finalizando as ações, será realizado, das 18h30 às 20h, o Seminário História da Dança Afro-Brasileira: Os desafios da contemporaneidade, com o dançarino, professor e pesquisador, Denilson Oluwafemi. No debate, temas como ações de pesquisa, difusão e memória sobre o contexto sócio, político e cultural presentes na construção de um conjunto de expressões, movimentos que transversalizam o campo da dança.
Serão abordados ainda os saberes ancestrais dos povos africanos e elementos da cultura popular brasileira na construção de uma forma de dançar, posteriormente denominada como dança afro-brasileira. O seminário também é aberto ao público. Todas as atividades acontecem na Escola de Dança da Funceb.