0800 Cultural Teatro

Camaçari recebe 3º Festival de Teatro do Interior da Bahia

43735721_1844915768962994_4535894061994737664_n

Desta quarta-feira (17/10) até o domingo (21), Camaçari será uma das cidades a receber o 3º Festival de Teatro do Interior da Bahia. A cerimônia de abertura acontece às 19h desta quarta, no Teatro Cidade do Saber, e contará com o concerto da Orquestra Sinfônica e Banda da UFBA.

Além de apresentações teatrais dos espetáculos selecionados, a programação do festival inclui oficinas, mesa redonda, rodas de conversa e tarde de autógrafos. A entrada é gratuita.

O objetivo do evento é promover a produção cênica criada e realizada no interior do estado. O festival é realizado pela Polo Cultural em parceria com o Prêmio Braskem de Teatro e marketing cultural da Caderno 2 Produções. O projeto tem o patrocínio da Braskem e Governo da Bahia, por meio do Programa FazCultura.  Além de Camaçari, o 3º Festival de Teatro do Interior da Bahia acontece em Vitória da Conquista e Porto Seguro.

Confira a programação de espetáculos:

  • Quarta-feira (17):

19h – Abertura: concerto da Orquestra Sinfônica e Banda da UFBA

 

  • Quinta (18) e sexta-feira (19):

15h – Espetáculo Folia de Rainhas (Jequié)

Classificação: Livre

Sinopse: Uma menininha, ao nascer, é visitada por três certas rainhas, uma benzedeira, uma costureira e uma cirandeira que lhe darão presentes para que ela cresça com uma vida plenamente saudável: folhas e rezas para proteção e para saber como se alimentar com equilíbrio; a arte da costura para se vestir e revelar belezas nos trabalhos artesanais; e algumas cantigas de cirandas para motivá-la a brincar. Atualizadas, a seu modo, sintonizam nas questões da mulher contemporânea. Celebram uma religiosidade circular entre cantigas e frases da vida comum e revelam a fé na humanidade, pois seguem a estrela da criação.

 

19h – Espetáculo Klaxon em Flor (Vitória da Conquista)

Classificação: 16 anos

Sinopse: Inspirada na trajetória profissional do encenador, diretor, dramaturgo, poeta, ator, professor, homem, mulher, brincante, menino, humano, gente, ser, Roberto de Abreu. “Klaxon em Flor: ser tal e qual, somente ser”, se dispõe a trazer para o público uma reflexão sobre quem somos, o que é ser artista, que tipo de artista queremos ser e o quanto vive a arte. Questionamentos que atravessam as obras de Roberto. “Klaxon em Flor” nada mais é que um experimento cênico, que traz de volta ao palco duas obras que estão temporalmente separadas – “Agonia: o voo e o grito de um klaxon”, de 2002, e “Gennesius: histriônica epopeia de um martírio em flor”, de 2009 – que agora se encontram misturadas e relidas, gerando uma nova possibilidade de unir em cena vida e poesia.

 

  • Sábado (20) e domingo (21):

15h – Espetáculo O Grande Yorick (Ilhéus)

Classificação: 14 anos

Sinopse: A  peça conta a história de Willian Chagas e sua luta para ser um grande artista dos palcos, ao mesmo tempo em que sua vida pessoal segue em ruína, mostrando a infância sofrida na periferia trabalhando com a mãe vendendo acarajé e a fase adulta na cidade grande, onde ele vai em busca do seu sonho e descobre a ferocidade do sistema para aqueles que seguem a margem da sociedade. A peça é livremente inspirada em dois grandes clássicos da literatura mundial: Dom Quixote, de Cervantes, e Hamlet, de Shakespeare.

 

19h – Espetáculo Mulheres Malês – Nas Margens do Rio (Lauro de Freitas)

Classificação: 12 anos

Sinopse: O Levante do Rio Joanes foi a insurreição Malê que aconteceu em 28 de fevereiro de 1814, tendo início em Salvador com o propósito de seguir até o Recôncavo, sendo bloqueados às margens do Rio Joanes na região de Santo Amaro de Ipitanga, hoje então Lauro de Freitas. O espetáculo Mulheres Malês – Nas Margens do Rio, embasado no Levante do Rio Joanes, traz um olhar a partir da construção racial e de gênero através de uma linguagem sensível e lúdica, relembrando, sobretudo, as mulheres que fizeram parte deste processo, Ludovina, Tereza, Germana e Francisca. A montagem se passa na noite anterior ao Levante, possui um recorte individual, debruçando-se sobre os medos, dúvidas e inquietudes que antecederam a batalha mais sangrenta da história da Bahia, ao passo que também dialoga com a atualidade e a importância da salvaguarda ancestral.

Compreender que essas pessoas existiram, eram individuais, tinham nome e histórias pessoais, tira da nebulosidade a compreensão generalizada, racista e machista de que as insurreições possuem uma única versão, aquelas contadas nos livros didáticos, restritos a um ou dois parágrafos, sem profundidade, sem pessoalidade.

 

Confira a programação das demais atividades:

 

  • Oficina Cultura e Inovação

Quinta-feira (18) a sábado (20), das 9h às 12h

Auditório do Teatro Alberto Martins

Ministrada pela gestora cultural Rosa Villas Boas

Inscrição:  link

Ementa: o curso Cultura e Inovação abordará temas como Economia Criativa, Elaboração de Projetos, Leis de Incentivo, Formação de Plateia e Gestão de Espaços e Grupos.

 

  • Oficina Falasser – Construindo uma Dramaturgia do Eu

Quinta-feira (18) a sábado (20), das 9h às 12h

Gibiteca da Cidade do Saber

Ministrada pela atriz Cristina Leifer

Inscrição: link

Ementa: a partir da interface entre teatro e psicanálise, a oficina tem como objetivo incentivar o participante a iniciar a construção de uma “Dramaturgia do Eu”, termo que surge no final do século XIX para classificar os textos subjetivos escritos para teatro do dramaturgo sueco August Strindberg [1849-1912]. O termo “Falasser”, um neologismo inventado pelo psicanalista Jacques Lacan, terá seu conceito utilizado livremente nessa oficina como sendo uma abordagem que permite o encontro do participante com o seu corpo e a sua fala.

 

  • Oficina Comedia Dell’arte

Quinta-feira (18) a sábado (20), das 9h às 12h

Sala principal do Teatro Alberto Martins

Ministrada pela atriz e diretora Teresa Costalima

Inscrição: link

Ementa: gênero teatral do renascimento italiano, caracterizado por improvisação sobre um roteiro de ação, uso de máscaras e tipos fixos como Arlequim, Pantaleão e casal de enamorados. A linguagem tem sido fonte inesgotável de inspiração para atores, diretores e autores, como William Shakespeare, Molière e Ariano Suassuna.

 

  • Mesa redona “Teatro: Gestão e Mercado”

Quinta-feira (18), às 14h

Gibiteca da Cidade do Saber
Participantes: Márcia Tude (Secretária de Cultura de Camaçari), Tata Ricardo (Presidente do Conselho de Cultura de Camaçari), Marcelo Mutakani (Representante do Conselho de Cultura Municipal) e Fernando Marinho (Presidente do SATED Bahia)

 

  • Roda de conversa “Diálogos: Teatro, Dança e Performance”

Sexta-feira (19), às 14h

Gibiteca da Cidade do Saber
Participantes: Carmen Paternostro e Lucas Valentin
Mediação: Fernando Marinho

 

  • Conversa e tarde de autógrafos com autores de teatro

Sábado (20), às 14h

Foyer do Teatro Cidade do Saber
Participantes: Raimundo Matos de Leão, Marcos Villa Góis e Edvard Passos