No Poder Público Notícias

Brasil explica nota do Itamaraty ao Irã

Foto: Adriano Machado
Foto: Adriano Machado

A diplomata Maria Cristina Lopes disse às autoridades iranianas que a posição do governo Jair Bolsonaro não deve ser entendida como uma manifestação contra o país persa. Maria Cristina, que é a encarregada de negócios da missão do Brasil em Teerã, foi convocada após o Itamaraty divulgar uma nota, na sexta-feira (3), em que endossa a operação para matar Suleimani.

No documento, o Ministério das Relações Exteriores diz apoiar a “luta contra o flagelo do terrorismo” e afirma que atos terroristas não podem ser relativizados. A linguagem segue os argumentos dos Estados Unidos, que acusam o general iraniano de planejar atos terroristas.

A convocação de um diplomata para dar explicações é uma das formas que um governo tem para manifestar descontentamento e incômodo com outro país. Número dois na embaixada brasileira em Teerã, Maria Cristina foi chamada porque o titular da missão diplomática, Rodrigo Azeredo, está de férias no Brasil.