Político

Audiência Pública debate mudanças no transporte e reajuste da tarifa em Camaçari. Ouça entrevistas

audiência-pública-transporte-2

Representantes das empresas e cooperativas que prestam serviço de transporte público em Camaçari, como de ônibus e táxis, do sindicato dos rodoviários, o secretário de Governo, José Gama, e o superintendente de Trânsito e Transporte, Coronel Alfredo Castro,  participaram, nesta terça-feira (16/04), da Audiência Pública promovida pela Câmara Municipal de Camaçari para debater as modificações implementadas no transporte, assim como o reajuste da tarifa dos coletivos. Realizada no Teatro Alberto Martins, a atividade ainda contou, na plateia, com a presença dos usuários do sistema.

O presidente da Casa Legislativa, vereador Jorge Curvelo (DEM), avaliou que a audiência pública foi proveitosa, possibilitando colher sugestões da população. “Conseguimos esclarecer a nossa população uma série de dúvidas, as pessoas que estavam aqui presentes e queriam esclarecimentos, quanto os espectadores que nos assistiram pela TV Câmara”, afirmou. O parlamentar ressaltou, contudo, que houveram na atividade “pessoas que só queriam fazer politicagem e tumultuar”.

Para Jorge Curvelo, o reajuste da tarifa significa “um aumento modesto, já que essas empresas há mais de dois anos não tinham reajuste na passagem”, defendeu, ao acrescentar que no segundo semestre de 2019 deve ser aberta licitação, que atrairá novas empresas para prestação do serviço de transporte no Município.

O vereador José Marcelino (PT) considerou a audiência pública positiva e um importante instrumento para ouvir a população. O parlamentar destacou que a questão do transporte público envolve diferentes segmentos, como as cooperativas, táxis, moto-táxis e a empresa Viação Cidade Industrial. Ele ainda citou dificuldades enfrentados pelos usuários, como falta de pontos de ônibus e problemas na estrutura dos existentes.

Durante a atividade, pessoas que estavam na plateia puderam fazer perguntas para os representantes das empresas e cooperativas, do poder público e para os vereadores. Um dos cidadãos que fez uso da fala foi o estudante Silas Vitória. Em entrevista ao Portal Cidade Satélite ele avaliou que a audiência aconteceu de maneira democrática, “mas que poderia ter sido melhor se houvesse de fato a participação popular. […] O que a gente viu aqui foi, na verdade, um grande teatro pra representar os interesses políticos e pessoais”. Para Silas Vitória, o reajuste da tarifa é “um abuso!”. “Não acompanha o valor da inflação, do aumento do salário mínimo, da cesta básica. […] O ônus é transferido pro cidadão, como se o cidadão tivesse obrigação de custear o que eles têm verba pra fazer, inclusive verba do imposto que nós pagamos de mobilidade urbana”, defendeu.

O estudante Marlon Tolentino também fez uso do direito a perguntas. Para ele, a audiência pública foi importante, mas deveria ter sido realizada antes do aumento da tarifa. “Mesmo sendo posterior, é positiva, pois é um espaço público de debate. A população desabafou seus problemas, fez elogios, críticas severas e sugestões”, afirmou, em entrevista ao Portal Cidade Satélite. “O saldo que a gente sabe que sai daqui dessa Câmara é que o transporte público municipal está sucateado, está ruim pra todo mundo, todo mundo quer melhorar, e os caminhos que vamos melhorar vamos ver nos próximos episódios”, finalizou.

Banner Ags9
Campanha 1 Ano do Programa Casa Melhor