Poder Público Político

Assessor especial de Michel Temer pede demissão

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ex-deputado federal e assessor especial do presidente Michel Temer, Sandro Mabel (PMDB-GO), pediu demissão do cargo na noite desta terça-feira (23), por meio de carta.

Ele era um dos assessores que despachavam do terceiro andar do Palácio do Planalto e auxiliavam o governo no diálogo com o Congresso Nacional e os empresários.

O goiano é o quarto assessor de Temer a deixar o governo. Os outros são José Yunes, afastado em dezembro, citado em delação da Odebrecht; Rocha Loures, na semana passada, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e Tadeu Filippeli preso ontem pela Polícia Federal na Operação Paratenaico, acusado de fraudes na licitação das obras de reconstrução do Estádio Mané Garrincha. No Diário Oficial da União de hoje (24) foi publicada a sua exoneração.

Na carta, Mabel agradece pelos dois anos no governo e afirma que não recebia salário para atuar como um colaborador eventual do presidente. O peemedebista conta que havia pedido a sua saída em dezembro de 2016, mas atendeu a uma solicitação de Michel Temer para permanecer por mais 120 dias.

Sandro Mabel é citado nas delações de executivos da Odebrecht, acusado de receber R$ 100 mil em doações para sua campanha como deputado federal em 2010. No entanto, ele não afirma que sua saída tem relação com a Lava Jato.

Leia a carta na íntegra:

Foto: G1
Foto: G1
Foto: G1
Foto: G1